O melhor pai merece o melhor presente! Todo o site com até 15% off
Ver seleção
R$ 0,00
R$ 0,00

Criado-mudo, não! Que tal mesa de cabeceira?

A língua portuguesa evoluiu e se transformou junto com a sociedade e com as transformações culturais. Alguns termos, como o criado-mudo, foram ressignificados.

Nossa história linguística é rica e interessante e evoluiu de tal maneira que atingiu inclusive o setor moveleiro. Isso deu origem à dúvida sobre criado-mudo ou mesa de cabeceira.

Com base nisso, queremos te fazer uma proposta: que tal repaginarmos juntos o nosso vocabulário, e trocarmos “criado-mudo” por “mesa de cabeceira”? Te explicamos o motivo no decorrer desse conteúdo.

Por que criado-mudo é um termo racista?

Durante a escravidão, os negros que se ocupavam dos serviços domésticos eram conhecidos como criados, e uma das suas atividades era passar dia e noite ao lado da cama, imóveis, segurando os pertences dos seus senhores. Caso falassem ou se movimentassem, eram punidos pelos donos da casa com severidade. Daí a origem histórica do termo “criado-mudo”.

Com o tempo, os escravizados foram substituídos pelo móvel que conhecemos, que ganhou o nome de criado-mudo por causa do contexto histórico funcional.

A mesa de cabeceira é uma forma de substituir o termo “criado mudo”.

No dia 20 de novembro 2019, em comemoração ao Dia da Consciência Negra, começou o movimento #criadomudonuncamais, do qual a Vero faz parte, para abolirmos o termo, trocá-lo por “mesa de cabeceira” e deixarmos o setor de móveis e decoração mais respeitoso para todos.

E, além disso, faz mais sentido, não é? Afinal, em uma configuração tradicional de um quarto, temos a cama, e, atrás dela, o móvel de cabeceira da cama. É natural que o móvel ao lado seja chamado de mesa de cabeceira ou, ainda, mesa lateral.

Pequenas atitudes mudam a nossa convivência para melhor. Vem junto com a gente nessa! E aproveita para compartilhar a informação com o máximo de pessoas, para que seus mais amados tenham consciência e possam, então, colaborar para o crescimento do movimento dentro da nossa sociedade.

Saiba como está funcionando a transição de criado-mudo para mesa de cabeceira aqui na Vero

Fazer a transição para mesa de cabeceira envolve muitos departamentos, como o de Produto, Comercial, Vendas, o Marketing, e a identidade visual dos nossos showrooms. Portanto, não se assuste se ainda encontrar algo nosso envolvendo o termo criado-mudo, pois isso mudará em breve!!

Além de já falarmos por aí “mesa de cabeceira”, começamos as modificações no nosso site, showrooms, nos manuais e nas redes sociais, bem como, é claro, na cultura interna da empresa e nas comunicações com nossos parceiros. 

As mudanças  envolvem todos os nossos textos, legendas, hashtags, e-mails, cadastros de produtos, sistema de pesquisa, além etiquetas e adesivos dos nossos showrooms e toda a nossa comunicação visual. Logo logo todo o universo Vero vai estar adequado e respeitoso para você, continue acompanhando a gente!

Agora que você já sabe a diferença entre criado-mudo e mesa de cabeceira, que tal continuar aprendendo mais sobre o setor moveleiro? Confira um conteúdo completo sobre um material que compõe várias mesas de cabeceira da Vero, a Madeira Pinus!

 

GOSTOU? COMPARTILHE
leandro marcato

Leia também

Se inscreva na Nossa Newsletter

Receba promoções, produtos e descontos. Direto no seu e-mail.
  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.
Link do Whatsapp Veromobili
usermagnifiercrossmenuchevron-downarrow-right
Entrar na lista de espera Nós iremos informar você quando o produto estiver disponível.